15 de out de 2007

Máxima - Como nasce as tendências

hoje pela manha troquei alguns e-mail com Denise Pitta do fashionBubbles estavamos pensando em dar continuidade ao post sobre a morte das tendências, e logo em seguida enquanto ela desenvolvia seu material para postar, eu descobri este post por e-mail da revista Máxima Como nasce as tendências

"Qual irá ser a cor da moda? O que se vai usar na próxima estação? Qual é o produto do momento?

A revista diz..." Quisemos percorrer o caminho inverso. Num mergulho profundo no universo da moda e dos produtos de consumo fomos em busca de descobrir como surgem estas tendências, como tomam forma e quem as molda. Como uma verdadeira caçadora urbana, Paula Horta circula pelas ruas de Barcelona munida das suas indispensáveis armas: um bloco de notas, uma máquina fotográfica digital e a enorme curiosidade que muitas vezes a impele ao contacto direto com os seus objetos de observação, mal os identifica. São adolescentes ou jovens adultos que por alguma razão se destacam dos demais, mesmo que seja por um mero detalhe ou adereço personalizado. O material recolhido e compilado é depois analisado nos escritórios centrais por antropólogos, sociólogos, especialistas em marketing e em outros sectores ligados ao consumo e aos novos negócios."... "mas não só nas ruas é feita a pesquisa, se estende aos eventos de arte, música, as feiras de moda, entre outros acontecimentos, também o são, assim como os blogs, os sites da Internet, os jornais e as revistas em geral".

continuam... "As tendências, então, não surgem da cabeça de ninguém. Nascem nas sociedades em que vivemos, dos pequenos adereços, dos gestos isolados de grupos restritos, das opiniões quase anónimas mas que catalizam a atenção de muitos, dos pequenos negócios criativos que despontam aqui e ali, de tudo o que se vê e se faz de forma diferente e inovadora, mas também da forma como as sociedades se comportam. Um artista underground, o designer do momento, um músico, um DJ, actrizes e actores, o autor de um blog, uma jovem na rua... Qualquer um pode ser um trendsetter (ver caixa no link da revista Máxima) desde que se destaque na multidão ou desperte o interesse dos demais e que, de alguma forma, a sua atitude ou opinião reflita as ansiedades do momento
Pouco mais à frente se lê no post " Li Edelkoort busca constantemente respostas para perguntas como: Como será a nossa vida no futuro? O que irão querer as pessoas? Que desejos e necessidades terão? Que características um produto deverá ter para alcançar o sucesso no mercado? Como inspiramos as pessoas a comprar coisas?"

Dá vontade de de desenvolver uma "meme" sobre a rotina de pesquisa de um designer...E aí pergunto à Denise vamos??

1- quais são suas principais fontes virtuais de pesquisa

2- cite outras fontes

3- quais são "suas " previsões de tendências que , nós seus leitores temos que guardar

4- indique qauis serão os 3 próximos bloggers ou entrevistados para responder estas perguntas

Os meus são vc Denise e Ed do fashionBubbles , laura do Moda pra ler e Biti do moda sem frescura

e o post continua... "Mas como é que tudo isso surgiu? "... gente tem é que visitar o link, este post é tudo de bom!!!

ps: de quebra eles dão um dicionariozinho com novos termos :
Trend forecasting – Prever tendências a médio e longo prazo através do estudo e análise das sociedade e mercados, verificando o seu possível impacto e oferecendo sugestão de novos produtos, novos negócios e novos nichos de mercado
Trendspotting – Acto de identificar tendências através da observação, definição, compreensão e análise quantitativa e qualitativa das tendências. Trabalho em campo cruzando informações a nível social, cultural e económico
Trendspotter – Quem desenvolve a actividade de trendspotting
Trendsetter – Espécie de opinion makers. Pessoas que de alguma forma influenciam, lançam tendências, se destacam pela diferença e inovação. São também chamados influentials ou mavens
Coolhunting – Acto de detectar o que é cool num determinado contexto, destacar o que pode vir a tornar-se uma

7 comentários:

Ale Carvalho - Lain disse...

que legal vc disponibilizar este texto. Vou copiar pra usar em sala de aula!

Ale Carvalho-Lain disse...

não dá pra copiar do seu blog! uhm.. vou correr lá no link da revista!

santa mistura disse...

ale achei tão perfeito, ele fácil, claro e objetivo ;)) fico super feliz que vc pode aproveitar ;)) bjsssss e obrigada sempreeeeeeee plos comments viu??

Ale Carvalho - Lain disse...

Tem um livro do William Gibson (o mesmo q escreveu Neuromancer) chamado Reconhecimento de Padrões. Conta uma aventura em busca de um enigma na internet, cuja personagem principal é uma publicitária Cayce, que é cool hunter. Muito interessante. Cayce desenvolveu naturalmente uma alergia a tudo que parece repetição, marcas famosas e muito usadas. É muito legal!

santa mistura disse...

obaaaaaaaa, obrigada pela dica vou ver se compro pra ler ;))

Biti disse...

fiquei super mega orgulhosa de ser citada por vc! bjs e obrigada!

santa mistura disse...

biti seu blog é o blog mais agradável de ler, sintético, layout, tudo é 10 e por isso volto sempreeeeeeeee