8 de nov de 2006

o futuro ... suposições 2016

esta madrugada Cissa pediu um comment sobre o futoro da moda...complexa a resposta cissaaa... respondi no comment do post abaixo + especificamente sobre a moda e como profissional da área de moda, tenho que escrever também sobre o que penso do presente e futuro do mundo... educação

"Não quero que a minha casa fique cercada de muros e que as minhas janelas fiquem fechadas. Quero que as culturas de todas as terras soprem sobre a minha casa tão livremente quanto possível. Mas recuso-me a ser derrubado por qualquer uma delas". Mahatma Gandhi

Com esta citação consigo definir o desejo dos novos consumidores... e assim vamos lá ...
R
eflexões sobre as conseqüências da globalização na economia e a maturação da Era do Conhecimento que deslocam o eixo da riqueza e do desenvolvimento de setores industriais tradicionais - intensivos em mão-de-obra e matéria-prima - para setores cujos produtos, processos e serviços são intensivos em tecnologia e conhecimento. A tendência imediata da importância das entidades de ensino que assumem novo papel à formação de conhecimento voltado e estruturado nas relações, forma e conteúdo do trabalho, com caráter cada vez mais “informacional”, com implicações significativas sobre o perfil do mercado de trabalho. Os impactos dessas mudanças — sobre as relações entre o trabalho morto ou mecânico e o trabalho vivo, bem como entre o trabalho manual e o intelectual e, de modo mais geral, sobre o novo papel do trabalho na agregação de valor, na valorização do capital, no valor dos produtos que depende cada vez mais do percentual de inovação, tecnologia e inteligência incorporadas. Tais mudanças têm um profundo impacto na economia do mundo e em nosso país.

algumas reflexões e análises...

  • A convergência do conhecimento- A convergência das tecnologias de informática, telecomunicações e mídia, incentivam o crescimento de indústrias de bens intangíveis e serviços interativos: software, entretenimento, publicações, comércio eletrônico, entre outros. A constituição de formatos organizacionais específicos entre diferentes tipos de agentes sociais e econômicos, em ambientes propícios para a geração de inovações, envolvendo desde etapas de pesquisa, desenvolvimento e produção, até a comercialização. Tais formas de interação vêm interligando as diversas unidades dentro de uma empresa, bem como articulam diferentes empresas e outros agentes — destacando-se, particularmente, instituições de ensino e pesquisa, organismos de infra-estrutura, apoio e prestação de serviços e informações tecnológicas, governos locais, regionais e nacionais, agências financiadoras, associações de classe, fornecedores de insumos, componentes de tecnologias e clientes — visando promover uma fertilização cruzada de idéias, responder e se adaptar às rápidas alterações, com a promoção de mudanças e aperfeiçoamentos nas estruturas de pesquisa, produção e comercialização.O aspecto negativo na convergência do conhecimento da sociedade do futuro está na difusão do modelo de cultura ocidental (e por omissão, ou modelo de educação) que promove a globalização apoiada na educação de massa e nas tecnologias de comunicação, particularmente a Internet e a Mídia. Fornecendo tanto oportunidades como ameaças, seus promotores argumentam que cria a melhoria do ambiente econômico faz prosperar a saúde educacional e cultural. No entanto, os padrões culturais econômicos por que tal 'melhoria' é medida mascara uma transgressão cultural, profunda, e de longo alcance. Muitos acadêmicos não-ocidentais e pesquisadores percebem esta tendência como forma de egocentrismo ocidental e imperialismo cultural condescendente, que invade culturas locais e estilos de vida, aprofunda as inseguranças de identidades nativas e contribui à erosão de culturas nacionais e tradições históricas.
  • Novos processos de aprendizado

ü Desenvolvimento de capacitações científicas, tecnológicas e organizacionais e esforços substanciais de aprendizado com experiência própria, no processo de produção (learning-by-doing);

ü Comercialização e uso (learning-by-using);

ü Busca incessante de novas soluções técnicas nas unidades de pesquisa e desenvolvimento ou em instâncias menos formais (learning-by-searching);

ü Interação com fontes externas, como fornecedores de insumos, componentes e equipamentos, licenciadores, licenciados, clientes, usuários, consultores, sócios, universidades, institutos de pesquisa, agências e laboratórios governamentais, entre outros (learning-by-interacting).

  • As profissões do futuro

As profissões também passam por um processo de mutação espetacular. Dado o maior valor atribuído ao conhecimento, à cultura, à arte e à estética, encontramos como profissões em alta, o design, a moda, a fotografia, a culinária, a hotelaria, a engenharia clínica, a informática médica e o direito internacional.

Os sectores terciários serão a fonte principal de novas oportunidades de trabalho nas projeções de emprego até 2010, com característica de contratação temporária especialmente pesquisada junto a agencias de emprego que destacam a procura por profissionais de informática e serviços de processamento de dados, saúde, educação, planejamento estratégico, gestão de lazer, varejo, incluindo restaurantes e bares e serviços sociais (bem como cuidado residencial para o idoso).

As fontes de oportunidades de trabalho estão em processo evolutivo permanente. As profissões do futuro exigirão dos profissionais a atualização continua e desenvolvimento de novas habilidades.

  • O profissional do futuro

A maioria dos trabalhadores continuará com só um trabalho, e ele, normalmente, será um trabalho de tempo integral, no entanto, uma percentual crescente de profissionais que acumulam dois ou mais trabalhos , alguns destes gozam da flexibilidade da carga horária com/ou aumento de ganhos em potencial superior aos contratos convencionais (tempo integral). Estes profissionais serão valorizados por:

ü Formação - global e sólida (Ser flexível e não especialista demais)

ü Capacidade de inovação - predisposição para mudanças (Ter mais criatividade do que informação)

ü Atualização - reciclagem contínua dentro da atividade (Estudar durante toda a vida)

ü Interação - emoção e razão integradas facilitarão o desempenho (Adquirir habilidades sociais e capacidade de expressão)

ü Conhecimentos extras - computação (intimidade com as novas tecnologias), domínio de várias línguas

ü Polivalência - condições de atuar em várias áreas

ü Cultura ampla - domínio de informações culturais e tecnológicas (com entendimento das diferenças culturais)

ü Capacidade analítica - postura crítica, interpretação antecipada das necessidades futuras da sociedade

ü Assumir responsabilidades

ü Ser empreendedor

ü Flexibilidade e adaptabilidade às mudanças econômicas e profissionais.

Obs: Oito destas características estão sugeridas no site da UNESCO para o trabalhador do Século XXI.

A escola do futuro e o futuro da escola

O custo das escolas vem aumentando ao longo dos últimos anos. A modernização das instalações que acompanham as mudanças da sociedade e do pensamento. Os estudos que para predizer o futuro, nos obriga a identificar, desenvolver atitudes e práticas para desenvolver cenários físicos usados para o ensino. Assim, serão destacadas dez diversas tendências entre tantas existentes que serão consideradas:

1. Os consumidores mais sofisticados, irão procurar com responsabilidade por maior qualidade, que pode estar no diferencial do tipo de certificado que aporte maior vantagem competitiva no mercado de trabalho. Bem como o fator do custo do aprendizado continuará influenciando na contratação ou não do curso. As instituições de ensino superior redefinirão mais claramente seus papéis em treinamento e credenciamento, assim como a metodologia de ensino aplicada, submetendo-se a avaliações freqüentes interna e externamente, que conseqüentemente, irão gerar mudanças permanentes nos meios e métodos da unidade re-configurando equipes, tamanho, forma, e instalações. A responsabilidade na boa formação do aluno exigirá das escolas que o aluno com dificuldades acadêmicas tenha cursos adicionais e específicos. Com escolas com cenário mais tradicional “acadêmico”, suspenderão cursos extracurriculares que envolvem, por exemplo, música e cursos de arte, cursos vocacionais, e cursos regulares de educação físicas, uma vez pressionadas pelos cortes de custo. Se isto tornar uma realidade, é possível imaginar ao menos algumas escolas no futuro serem muito básicas, compostas principalmente de salas de aulas acadêmicas normais com poucos espaços para assuntos de “non-essential”. Num segundo cenário, salas de aulas acadêmicas normais em grande parte desaparecem. Em seu lugar, laboratórios especializados e centrais de estudo. Com esta visão mantêm separado o ensino acadêmico das artes, vocacional, e podendo gerar uma dicotomia falsa (Chan 1996 - A preocupação com a prática pode se tornar um mal entendido quando se antagoniza com a teoria, ou seja, quando a primeira é vista como prioridade, relegando a segunda um caráter de "mal necessário".Feita a separação, uma parece ter vida própria em relação à outra, adquirindo status diferenciados). Em vez disso, eles podem aprender holisticamente, por exemplo, a arte incorporada na linguagem ou matemática desenvolvida com habilidades específicas de trabalho ou vocações. Neste cenário, salas de aulas devem ser universais, permitindo um misturar de instrução tradicional com instrução diversificada significativa, permitindo experiências de laboratório a artes cênicas. Um terceiro cenário vê o desenvolvimento de instalações mais compartilhadas de escola. Nesta visão, escolas futuras serão criadas ou será reformulada com espaços de apoio que também poderão ser usados por organizações sociais da comunidade ou negócios regulares, ou seja, os espaços podem ser utilizados para diversas funções (ensino, pesquisa, prática, trabalho, etc.). Bibliotecas digitais compartilhadas com a comunidade e alunos, ou outros tipos de instalações de apoio e serviços gratuitos, voltados à formação sólida de experiência prática, exemplo, Hospitais-escola. Em qualquer dos três cenários, as instalações acadêmicas sofrerão alterações se comparadas as atuais. O planejamento bem sucedido chave estará em fornecer os espaços adaptáveis e bem flexíveis.

2. O custo das instalações tem impacto negativo na criação de novas unidades educacionais. As instituições Educacionais continuarão a sentir-se pressionadas a controlar seus custos, avaliar a permanência ou não de alguns produtos, em função do custo benefício com ênfase maior no "balanço final", além, das mudanças das legislaturas em ensino regulamentadas. Hoje, o aumento do interesse de aquisição de conhecimento tem como resposta o crescimento na expansão das instituições - mais disciplinas, mais departamentos, mais cursos, mais salas e, sentimos naturalmente, a necessidade de maior investimento, por parte da instituição, em áreas de apoios (bibliotecas, laboratórios, etc.).

3. A maior demanda de permanência do aluno no campus implicará no aumento do ano letivo, bem como, na otimização do uso do prédio para exercerem outras funções a comunidade, freqüentemente durante noites e finais de semana. Estas instalações escolares sofrerão grande desgaste de uso e seus materiais e equipamentos necessitarão ser mais duráveis e facilmente mantidos ou substituídos. Programas de longo prazo das instalações devem ser baseados em índices de formatura ou tempo que o aluno utiliza a instalação, devendo considerar o aumento do número de salas de aula, sem a diminuição da população de alunos, assim haverá diminuição do tamanho das salas de aula bem como os equipamentos utilizados internamente. Não haverá períodos estendidos para fazer reparação, porque escolas operarão quase plenamente no ano. O custo de desgaste das instalações aumentará bem como a ênfase na eficiência na administração do gasto de energia e outros custos fixos.

4. A tecnologia dominará o ensino. O aumento da quantidade de unidades de ensino, e a redução da relação professor/aluno gerando custos educacionais crescentes que causarão relutância dos alunos. As entidades de ensino terão que procurar meios de controlar custos de educação. Um meio será por educação à distância (Clark 2001), outra possibilidade de controlar custo será de desenvolver programas educacionais básicos dentro da escola, distribuídos em computadores, redes, e software. Por exemplo, em vez de quatro professores instruindo cem estudantes de quarto-nível, a escola do futuro pode ter um professor magistral e uma equipe de assistentes que seguirão o prescrito pelo professor magistral. Este processo envolve interação direta entre estudantes e assistentes ou pode envolver os assistentes ajudando estudantes a usar um programa de software especificamente projetado para promover a educação num assunto específico. Em efeito neste cenário, o professor magistral será como um médico, diagnosticando e determinando tratamento mas designando aos procedimentos educacionais bem complexos de intervenção para outros executarem. Embora este tipo de aproximação foi discutido na literatura durante anos, hoje, muitos avanços na tecnologia fazem a probabilidade de tal reorganização do modelo de ensino não ser o único possível, mas o provável. Se tal cenário realiza-se, o conceito de um edifício da escola sofrerá um repensar substancial.

5. A organização dos estudantes e professores será diferenciada com preocupação de adaptar os espaços ao tipo de conteúdo ministrado em sala. Destacando a tendência do ensino combinado, as escolas construíram tipos muito diferentes de salas de aulas no mesmo corredor. Outra possibilidade é que escolas inteiras serão projetadas para estudantes com interesse num único segmento, por exemplo, estudantes de artes visuais terão uma escola especificamente projetada para apoiar este segmento, bem como os estudantes de artes cênicas terão acesso a instalações projetadas para atividades em movimento. Sem ter em conta qual destas possibilidades emerge, o ponto crítico para planejadores será qual modelo de sala de aula irá desaparecer. As crianças iniciarão em casa seu aprendizado e as escolas tornam-se uma única base global de conhecimento. Os cursos serão oferecidos ‘modularmente’ e o valor de conhecimento será julgado pela freqüência dos cursos. A metáfora aqui está na escola como bolsa de valores de conhecimento. Os professores serão técnicos que controlam os fluxos de aquisição de conhecimento que, crescentemente, tornar-se-ão uma unidade de câmbio econômico.

6. Os Materiais utilizados no ensino tradicional devem desaparecer da sala de aula (livros impressos, apostilas e papeis) como exemplo temos escola de Tucson, nos Estados Unidos, que está abolindo os livros e cadernos de papel. A partir de setembro, os 350 alunos da instituição de ensino secundário irão encontrar computadores portáteis com acesso à Internet, da qual poderão baixar todo o material didático, digitalizado. Muitos dos materiais de referência, incluindo livros, diários e revistas, estarão disponíveis em mídia digital, laser, DVD´S ou via a Internet, exigindo portanto, adequação das instalações elétricas, conexões de rede, ou LAN´s com especial destaque a área da biblioteca digital. Com o uso importante de computadores em sala de aula afetando os ambientes acústicos, térmicos, visuais e físicos da sala de aula, serão necessários o desenvolvimento e uso de controladores compensadores do efeito negativo criado.

7. A responsabilidade no resgate da 'diversidade' cultural à sobrevivência de sociedade humana será encorajada em todos níveis de educação. Isto envolveria um reavaliar das artes, as habilidades práticas, e processos contemplativos com mesmo valor do desenvolvimento racional, em contribuição a um paradigma de conhecimento holístico para o futuro. No entanto, tal visão será implementada com grande luta. Há muitos interesses pessoais poderosos em manter a monocultora da globalização com commodities e homogêneses que determinam valores econômicos globais. Na mesma direção os cientistas durante décadas, admitem agora para o mundo, terem descuidado com o meio ambiente resultando no aquecimento global, também pode tomar muitas décadas para se obter através da tecnologia ou comportamento de massa a reversão destes sinais negativos sobre o meio ambiente. A responsabilidade com a qualidade do futuro da humanidade dependerá de uma sociedade transformada que se recusa a ser representa como hegemônica, hierárquica, linear, monocultultural e baseada na aquisição interminável de 'bytes' fragmentados de informação, mas antes, uma rede pluralística de multicamadas culturais e sociais, cometida a nutrir significado integrado à culturas baseadas na sabedoria. Se os cursos desenvolvidos tiverem o caráter prático, eticamente coerentes e moralmente responsivo às necessidades mais amplas da humanidade então começarão também a trabalhar no resgate à esperança do amanhã.

8. Os processos educacionais terão como objetivo romper com as limitações do modelo cultural de materialismo ocidental. No modelo Steiner, cientista, filósofo e artista que contribuiu significativamente aos campos de educação, agricultura (biodinâmico), medicina e as artes e escrevendo extensamente em todos assuntos imagináveis futuristas, indicou que a ciência poderia ser reunida à arte e metafísica por ‘ciência espiritual'. Além de estimar o desenvolvimento conceitual/racional da criança e o contexto real prático de vida de educação (também recomendado por Dewey), Steiner fortemente realçou o cultivo da imaginação por processos artísticos estéticos e estimulou o uso de linguagem oral por poesia, drama e narração de história. O movimento educacional que cresceu após a iniciativa do Steiner resultou no estabelecimento de centenas de escolas no mundo. Considerado por muitos de seus proponentes ser um modelo educacional. Steiner repetidamente declarou que ele não ditava dogma, mas antes de tudo esclarecia o conhecimento da sabedoria da humanidade (antroposofia). A aproximação conceitual de educação de Steiner é uma aproximação integrada do desenvolvimento da criança no ambiente interdisciplinar, em particular, com o cultivo da imaginação saudável e nítida do estudante.

9. O papel do ensino no processo de socialização do individuo numa sociedade individualista promovido pelo resgate dos valores das comunidades, com ênfase na mudança da forma de processar conteúdos preservando seu valor cultural, social espiritual/individual.

10. O sistema genético de classificação Sophia pode influenciar no surgimento de escolas ou cursos desenvolvidos e especialmente segmentados para este novo nicho, que classifica o individuo em 3 tipos de estruturas baseado na capacidade de aquisição de conhecimento e como a inteligência armazena e processa a informação.

Muitos das oportunidades de trabalho de rápido-crescimento no futuro exigirão alguma forma de educação de pós-escola ou treinamento continuo. Guiado por mudanças permanente na tecnologia e exigência na qualidade dos serviços, surgirão alternativas tradicionais vindas das universidades e politécnicos, bem como, novos fornecedores terciários de educação com estabelecimentos privados de treinamento.

A globalização tem seus reflexos no ensino, aumentando a ênfase na internacionalização do currículo; que contribui para o desenvolvimento de novas sociedades para pesquisa e ensino com agências e instituições através do mundo. Outro aspecto de globalização, especialmente à luz da evolução da tecnologia de comunicações, é a permeabilidade aumentada de limites internacionais. A globalização pode ser uma fonte de novos estudantes ou pode contribuir a perda de alguns estudantes internacionais.

As Organizações de Treinamento voltadas para a indústria (treinamento coorporativo) têm um papel estratégico diante da ameaça da competição global utilizando também como ferramenta o desenvolvimento de programas de ensino a distancia complementar (Educação de distância consiste em todos arranjos para fornecer instrução por impressão ou meios eletrônicos de comunicação de comunicações, este sistema incorpora o conceito de "distância transacional" assim como a noção tradicional de distância geográfica. Assim, a instrução de em cidade universitária em que o ato de ensino é separado do ato de aprender, neste exemplo, permite a instrução por computador ou seminários de individualizados e simulações em qualquer número de disciplinas.).

Jornadas mais longas de trabalho, expansão continuada de áreas metropolitanas, populações mais diversificada, todo estes fatores afetam diretamente o ensino e interferem na criação e aumento de novos serviços.

Parte da oferta de emprego permitirá trabalhadores executarem seus serviços a distancia, associada ao aumento da expectativa média de vida, a conseqüência imediata será maior investimento por parte do aluno, uma vez graduado, irá procurar cursos vocacionais (isso é, cursos com foco em aperfeiçoamento profissional.). Se empregadores continuarem a reduzir o número de contratações, mais destes estudantes poderão estar pagando diretamente por melhoria na formação para permanecerem contratáveis ou empregados. Algum destes estudantes estarão interessados em acumular créditos de grau e formação sobre um período relativamente mais longo de tempo. Desenvolver e encorajar empresas a desenvolver parcerias com empresas de ensino, que inclusive implicariam em instalações apropriadas dentro do ambiente de trabalho para motivar o ensino continuado, entre diversos aspectos positivos se destaca o aumento do contingente de alunos estáveis pagantes.

enfim o mundo não para!!!!!!! e para vc ficar sempre bem informado sobre marketing de moda o blog mktdemoda.wordpress.com.

e hoje descobri o blog do LINO RESENDE com 1 post...Entendendo o consumidor e para quem procura uma excelente opção de cursos, indico o IBMODA em SP, e acompanhar palestras eventuais que a Abit promove.

+ PDF para pesquisa Tales Novaes de Andrade

8 comentários:

Anônimo disse...

obrigada pela visita!
O MSTC surgiu de maneira irônica em protesto as copias descaradas de meus textos. Mas o pessoal gostou tanto que dá vontade de levar adiante. Um abraço

santa mistura disse...

valerie eu me acostumei a ser roteiro de links para serem postados rsrsrs porque raranmente escrevo muito ;))

Fernanda de Azevedo disse...

Patrícia, post perfeito hein. Parabéns, depois vou fazer um link na no blog com certeza. Esse post precisa muito ser divulgado.

Beijões.

santa mistura disse...

obrigadaaaaaaaaaa valerie ; ))

Lino Resende disse...

Patrícia:
Só depois de ter lhe feito uma visita é que vi a citação do meu modesto blog. O mérito do apanhado sobre o futuro consumidor é do Cláudio. Eu apenas fiz uma compilação e traduzi, colocando à disposição dos leitores.

Muito obrigado.

santa mistura disse...

linoooooooooo seu blog é otimo do mesmo jeito ;))

eddie disse...

Pat,
Absurdamente bom o seu artigo!
Linkei la no fashionbubbles.
beijao

santa mistura disse...

ed esse txt é um fragmento de um material que eu tinha escrito para a estácio. Super obrigada pelo link + 1 no seu blog fantástico ; ))